quarta-feira, 14 de junho de 2017

No adormecer do silêncio


Madrugada outonal
Sinto a ausência da Lua,
Desliza a lágrima...
No adormecer do silêncio,
O silenciar das teclas do piano
Invade e imobiliza
A peças do jogo de xadrez
Enquanto, o amor e saudade tecem
Num ritual encantado
As cores do nosso amanhecer,
Escrevo este poema
Que cintila em versos
Para o meu amor...
Van Zimerman, IWA
14/06/2017