terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Amanheço..




Quando sonho contigo,
Amanheço
Com teu perfume
E  teus beijos,
Dedilhando
Meu coração,
Corpo e alma...
Vanice Zimerman IWA
11/12/2017

Foto: Vanice Zimerman (10/12/2017)

A flor em tuas asas...


Nas asas da borboleta
As pétalas voam
Poemas alados..
Vanice Zimerman IWA
 11/12/2017

sábado, 9 de dezembro de 2017

Haicai 1000 - Homenagem a Matsuo Bashô


no  olhar do Bashô
reflexos de  uma pena no lago-
a eternidade
Vanice Zimerman IWA
 09/12/2017

***

. Matsuo Bashô, samurai e poeta mais famoso do período Edo no Japão e considerado o primeiro e maior poeta japonês do estilo haikai.

http://www.revistaprosaversoearte.com/matsuo-basho-dez-haikais/

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Amo o doce despertar dos teus beijos




O Amor contido
Em nosso olhar
Tece a cada dia
Beijos que adormecem
Em nossos lábios
E, despertam
Embalados pelas batidas
Dos nossos corações
Tão juntinhos,
Tingindo  nosso amanhecer
Com rendas de poesias,
Te amo, amo, amo...
Vanice Zimerman, IWA
                                            25/11/2017
Imagem: Vanice Zimerman, IWA

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

23 de Novembro é o "Dia Internacional da Palavra" - Poemas do Brasil, Argentina, Equador e Moçambique.


O Museu da Palavra da Fundação César Egidio Serrano (Espanha)  festeja em 23 de novembro "O DIA DA PALAVRA."


Poemas em homenagem ao Dia Internacional da Palavra: publicado na
Revista Carlos Zemek:

http://revistacazemek.blogspot.com.br/2017/11/recebidos-poemas-dos-poetas-neyd.html

"Com o intuito de divulgar esse Dia que faz lembrar da palavra fraterna, amiga, cordial, conciliadora, pois a Palavra é VÍNCULO DA HUMANIDADE, convidamos poetas de qualquer nacionalidade  para expressar em versos estes conceitos. Foram recebidos poemas do Brasil, Argentina, Equador e Moçambique.

Recebidos poemas dos poetas:

Neyd Montingelli, Decio Romano,  Luciana do Rocio Mallon, Isabel Furini, Adriana Garcia, Aldo Moraes, Humberto Napoleón Varela Robalino (do Equador), Van Zimerman, Sonia Cardoso, Maria Antonieta Gonzaga Teixeira, Fátima Gonçlaves, Kátia Sentinaro, Marli Terezinha Andrucho Boldori, Amaury Nogueira, Norma Haydée Perez, Octaviano Joba, Eloi Fonseca, Juliana Oliveira Nacimento"

Agradecemos às leituras e comentários!

Vanice Zimerman, IWA

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

As mãos do vento...



Aos poucos,  tuas pegadas
Desparecem da areia...
Lembro-me de uma ampulheta
Em que a passagem do tempo
Era medida com reticências...

As mãos do vento
Apagam teus passos,
Mas, não apagam as lembranças
Do jeito carinhoso  que acariciava
Meus cabelos...
Do toque macio e tão intenso
Dos teus lábios,
Quanta saudade tecida
Em poemas, em sonhos
Que sonhamos juntos,
Hoje, eu queria muito
Que as mãos do vento
Levassem-me  ao teu encontro...

Vanice Zimerman, IWA
16/11/2017

***
Foto: Vanice Zimerman- 11/11/2017

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

A Gárgula e a Lua

Noite fria,
À espera da Lua
A Gárgula imóvel
Sonha  com o mágico
Momento do despertar,
Quando no frio mármore
Seu coração volta  a pulsar...
Vanice Zimerman, IWA 
em 07/11/2017

***
CLAUDE DEBUSSY: CLAIR DE LUNE - YouTube
https://www.youtube.com/watch?v=CvFH_6DNRCY

Enviado por Vanice Zimerman IWA em 07/11/2017

Em noites de Lua... – Poema e voz: Vanice Zimerman, IWA

           

               Em noites de Lua... – Poema e voz: Vanice Zimerman, IWA 30/10/2017



                       Agradeço as visualizações!

domingo, 5 de novembro de 2017

Coração iluminado


Uma centelha
De Amor incendeia
O coração,
Fogo sagrado...
Vanice Zimerman IWA
 04/11/2017

terça-feira, 31 de outubro de 2017

PALAVRAS QUE SUSTENTAM O MUNDO... HOMENAGEM A CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


   
       O mundo flutua no Universo, em companhia do Tempo e do Destino. Para não perder o equilíbrio e a esperança de entendê-lo, contamos com as palavras do poeta; “Teus ombros suportam o mundo...”

       O artista da palavra sustenta o mundo com a força da imaginação, da poesia e da sabedoria... Com esta emocionante, porém   difícil Arte de escrever sobre sentimentos como amor, alegria, saudade e decepção... Ele consegue transmitir  a beleza, a dor e a magia que vê refletida em uma lágrima, uma gota de chuva, um raio de sol, um sorriso ou  um sonho!

       Os ombros que sustentam o mundo são largos,  sensíveis e críticos, formados por poetas de diversas nacionalidades,   reconhecidos e admirados... Esta importante união de ideias e visão de mundo  levam-nos a refletir sobre a busca de um sentido para a vida, de um encontro sem máscaras com nosso Eu... Os poetas sentem o peso do mundo, travam duelos com as palavras, com as páginas em branco. Muitas vezes torturando-se com a força e a realidade destas.

      Por possuírem e aperfeiçoarem a sensibilidade de observar as pessoas, de conversar com a natureza, escrevem versos dando vida, emoção e cor as palavras!


Vanice Zimerman, IWA

- Homenagem a Carlos Drummond de Andrade (31/10/1902-1987), e todos os poetas que sustentam o mundo com suas palavras e ideais.

"Os Ombros Suportam o Mundo"



HAPPY HALLOWEEN - The Magic of the Heart


The Magic of the Heart

In the old cup of tea.
hibiscus petals, roses
And pomegranates floating, revealing secrets ...
Thoughts, dreams and desires,
Love and scenes from the past and future,
Designed for enchanted scrolls,
Unraveled mysteries,
Intense magic of the heart...

***
A Magia do coração

Na antiga xícara de chá.
Pétalas de hibiscus, rosas
E romãs flutuam, revelando segredos...
Pensamentos, sonhos e desejos,
Amor e cenas do passado e futuro,
Desenhados em pergaminhos encantados,
Mistérios desvendados,
Intensa magia do coração...
Vanice Zimerman, IWA
 31/10/2017

domingo, 29 de outubro de 2017

… e a chuva continua


Anoitece
… e  a chuva continua,
Na solidão
Da folha de Canson
Aos poucos, desenho os traços
De uma natureza-morta...
Vanice Zimerman, IWA
29/10/2017

sábado, 28 de outubro de 2017

Haiga - Ipê-amarelo



céu azul-
a lanterna de pétalas
à espera do vento...


Vanice Zimerman 
26/10/2016

Quando os relógios derretem...

Há um misterioso  encanto
E uma sensação de liberdade
Quando os relógios derretem...
Na grama, a pena branca
Despede-se do pássaro e do céu azul,
Deixando deslizar uma lágrima
De arco-íris.
Quando os relógios derretem
A Lua empresta seu brilho
Ao tabuleiro de xadrez,
Que aos poucos se dilui
Com o toque incandescente dos relógios
E, no jogo do poder mesclam-se
As cores
Unificam-se as peças...
Quando os relógios derretem
Voam bem alto
As sementes de dentes-de-leão,
Enquanto o pássaro
Do vidro trincado da janela
Pousa em minha mão,
Sussurrando poemas.
Quando os relógios derretem,
O Amor tem todo tempo do mundo...
Vanice Zimerman, IWA
 28/10/2017

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Homenagem a Graciliano Ramos: Vidas Que Secam...



Vidas Que Secam...

Angustiam-se, consumidas em solitárias noites de Insônia.
Personagens bem delineadas pelo mestre Graciliano Ramos...

Vanice Zimerman
27/10/2010

Lindo e emociona!
Graciliano Ramos nasceu na cidade de Quebrangulo, Alagoas (27/10/1892 - 20/03/1953) foi um romancista, cronista, contista, jornalista, muito conhecido por seu livro "Vidas Secas" (1938).

"Quando se quer bem a uma pessoa a presença dela conforta. Só a presença, não é necessário mais nada."
Graciliano Ramos

"Em duas horas escrevo uma palavra:Marina. Depois, aproveitando letras deste nome, arranjo coisas absurdas:ar, mar, rima, arma, ira, amar. Uns vinte nomes. Quando não consigo formar combinações novas,traço rabiscos que representam uma espada, uma lira, uma cabeça de mulher e outros disparates." Graciliano Ramos -"Angústia"- romance)

Fiz amor com o Vento...



Tarde de primavera,
Depois  de alguns meses de solidão...
Senti a tua meiga presença
Em meu rosto,
Brincando com meus cabelos...
O beijo e as carícias
Do Vento são mágicas.

Vanice Zimerman IWA
25/10/2017




Fotos: Vanice Zimerman, IWA (outubro/2017)



Palavras e Lembranças...



Ainda lembro-me dos fins de tardes em que eu, minhas irmãs e primas brincávamos no jardim de casa, havia um balanço de madeira que ficava em um dos galhos da amoreira. Eu gostava e ainda gosto, de colher amora.

O balanço não existe mais, e daquelas tardes repletas de amizade, alegria, sons e aromas ficaram lembranças, e relembrá-las não tem preço... A natureza nos oferece em cada Estação do ano: flores, pássaros e tonalidades lindas e únicas, em cada nascer e pôr do sol; um show de vida e emoções. Emoções que também sinto ao observar quadros num deles um barco antigo descansa na areia (solidão e silêncio...).

E em outro, admiro o “Morro”, de Cândido Portinari, que retrata uma favela, na cor marrom dominante. E assim, os dias e noites passam, e a imaginação passeia, enquanto escrevo poemas e crônicas, as palavras em fila aguardam curiosas, mas sem pressa...


By Vanice Zimerman (blogbviwtecendoletras)
26th October 2014
BVIW 1 - OURO

sábado, 21 de outubro de 2017

Saudade em ondas



Quando o coração anoitece
Caminho sozinha,
Em um labirinto de sonhos
Tecido com paredes de rendas,
E telas em branco,
E, a cada passo ouço o som
Das ondas do mar mais próximo,
Saudades em ondas...
A cada passo sinto o vento frio,
Espalhando as pétalas de rosas
Que se transformam
Em pétalas de Lua...
Aos poucos, sinto a presença
A mágica dos teus passos
A me seguir,
E assim meu coração amanhece
Repleto do teu perfume e beijos,
Te amo, amo, amo...


Vanice Zimerman, IWA
15/10/2017

Foto: Vanice Zimerman (19/10/2017)
***
https://www.youtube.com/watch?v=71Htqw-Iv7U
Astrud Gilberto - White Waves 白い波



Azul Cerúleo



A  saudade
Em azul cerúleo
Desliza
Em uma lágrima.
Vanice Zimerman, IWA
 21/10/2017

A Fada do Agapanto


A Fada cobre com seu manto
As pequenas flores de agapanto...

Vanice Zimerman, IWA

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

No silenciar das cores


Noturna Solidão
No silenciar das cores
Envolve-me...
Vanice Zimerman, IWA
12/10/2017

Aquieta-se na ampulheta...


Dilui-se o tempo
Em gotas de poesia,
Enquanto o aroma de incenso
Aquieta-se na ampulheta...
Cansada a alma adormece,
Tingindo sonhos
Com a eternidade...
Vanice Zimerman IWA
12/10/2017

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Tão distante...




Noite fria,
Tão distante meu olhar
No autorretrato...
Vanice Zimerman IWA
 08/10/2017

Imagem: "Autorretrato" - Vanice Zimerman (2016)

Despedida...


Despede-se o sino, da igreja,
O vento imóvel
Silencia-se nos campos
Repletos de girassóis...
Vanice Zimerman, IWA
09/10/2017
***

“O amor é a única flor que desabrocha sem a ajuda das estações”
Khalil Gibran

sábado, 7 de outubro de 2017

Pontes de Cura


Mãos iluminadas
Constroem com amor,
Gratidão e alegria
Pontes de Cura
Unem caminhos
Suavizam as dores
Com aroma de incenso
Mãos iluminadas
Feito bálsamo,
Tecendo a cada anoitecer,
A Flor da Vida...
Vanice Zimerman, IWA
m 07/10/2017

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Piano de cristal



As notas musicais
Deslizam nas teclas  do  piano de cristal
Aquieta-se a Lua para escutá-lo,
Enquanto a solidão
Admira de uma fresta na janela,
A noite prateada cintila
Em nossa taça...

Vanice Zimerman, IWA

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O gosto doce dos teus lábios


Manhã  fria,
A saudade desabrocha
E com cuidado,  aconchega-se
A cada gota de orvalho,
Beijando o gosto doce
Dos teus lábios
Contido, magicamente
Em tua fotografia...
E  a tarde aquarelada
Com a chuva nos vidros
Da janela, inspira
Um poema, que pousa
Devargarzinho
Nas petúnias da floreira...
Vanice Zimerman, IWA
 29/09/2017

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Cílios de pétalas


No caleidoscópio
Do meu olhar
Giram os reflexos
Dos seus girassóis,
Respiro as cores,
Permanecendo,
Em  meus cílios as pétalas
À espera do vento...
Vanice Zimerman, IWA
 25/09/2017

Foto: Vanice Zimerman, IWA

Noite Azul



Enquanto
As espirais azuis envolvem-me,
Em círculos, flutuo
Devaneio em tuas estrelas,
Molho minhas mãos,
Em tua tela
Um poema de tintas
Tecido em uma noite eterna,
Na ponta de cada estrela
Pincelaste
Um sonho de amor...

Vanice Zimerman,IWA
 25/09/2017

Foto: Vanice Zimerman - setembro/2017

domingo, 24 de setembro de 2017

A VIAGEM




Feito um surreal barco a vela,
Viajando no delicado som das águas
O coração cintila em metáforas...

Vanice Zimerman, IWA

Foto: Vanice Zimerman, IWA

GRATIDÃO




Na madrugada
Silencia-se o pensamento,
O escuro do quarto
Ilumina-se com as Mãos de Luz,
Mãos que envolvem com um amor  de luz
E, feito bálsamo aliviam
As dores e curam...

Vanice Zimerman, IWA
24/09/2017



Foto: Vanice Zimerman, IWA

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A Fonte e o Leão


De madrugada,
Devagar molho as minhas mãos
Em uma fonte de sonhos,
Invade-me o reflexo da Lua...
Sinto cada pedra e gotinhas d'água
Repletas  de vida,
Minhas mãos flutuam,
Feito um surreal barco a vela,
O coração cintila em metáforas,
Viajando no delicado som das águas, devaneio
E desperto o Leão de mármore
E, na suavidade e energia
Desse encantado despertar
Envolve-nos uma harmoniosa sintonia,
Acaricio seu olhar
E beijo seu sorriso...
Vanice Zimerman, IWA

Inefável néctar...


Num piscar de olhos
Inefável presença
Movimenta e paraliza
O toque da saudade...
Inefável lembrança
Movimenta e imobiliza
O vento, e envolve-me
Com o aroma do teu beijo,
Inefável néctar...
Vanice Zimerman, IWA
 17/09/2017

sábado, 16 de setembro de 2017

Nossa xícara














É madrugada
E, em  nossa xícara,
Algumas gotinhas de café deslizam
E aconchegam-se ao pires...
Quanta felicidade
Cabe na xícara?
Eu não sei,
Apenas gosto de fechar os olhos
E viajar nos  frisos dourados
No perfume da rosa que tinge
Os caminhos de porcelana,
Sentindo o calor dos teus lábios...



Vanice Zimerman, IWA

08/09/2017

Foto: arquivo pessoal - Vanice, 2016

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

ETERNO AMOR


Na emoção
Da  troca de olhares,
Das carícias....
Tantas lembranças,
Saudades seculares...
Um beijo eterniza o amor.
Vanice Zimerman, IWA
 13/09/2017

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

O Lago Azul


Enquanto  o fim de tarde
Beija  e banha-se no lago,
O reflexo do azul do céu,
Quase, imóvel
Espera tua presença,
E dos versos que flutuam,
Tênue poema escrito
Nos círculos d’água
Ciclos de vida
Que se transmutam
Em um poema de amor
Ao tocares com tuas mãos, o  lago.
Vanice Zimerman IWA
 26/08/2017

Bailam versos...

Na varanda,
Os sons dos sinos de vento
E os gatos imóveis nos degraus...
Vanice Zimerman, IWA

AUSÊNCIA DAS FOLHAS, PRESENÇA DE VIDA


         Gosto de observar a natureza e suas mensagens contidas em cada Estação do ano, por exemplo, estamos no inverno e  as ruas do bairro onde moro estão repletas de Ipês - amarelos, a maioria das flores desabrochou.

         É especial acompanhar o ciclo da vida que estas árvores apresentam, entretanto, algumas ainda estão sem as flores e permanecem sem folhas...

        Imagino a vida, pulsando em cada galho, à espera do momento certo de desabrochar para que possam também, com tons de amarelo enfeitar ruas,  calçadas e inspirar poesias.

        Penso que cada pessoa também tem seu tempo de “desabrochar” para a vida, de se descobrir, meditar e depois renascer, e esse processo é contínuo, repleto de sensações e de escolhas. E assim, as mudanças acontecem resultando em aprendizado, experiência dos acertos e erros.

        O antigo Ipê que tenho plantado num espaço na calçada aqui de casa, ainda está sem flores, e no fim de tarde a árvore recebe muitos pássaros que tingem os galhos com suas cores, penas em movimento de bem- te- vis e canários-terra, que com seu canto a envolve, num abraço de harmonia e encanto, enquanto as flores de Ipê aguardam o instante ideal para florescerem.
Vanice Zimerman IWA
02/09/2017

Portal de Poesia


Descansa
Atrás do vaso de cristal,
Em uma aquarela
O portal de poesia
Na transparência do cristal
A imagem transforma-se,
Dilui-se...
As linhas retas dos contornos
Curvam-se,
E, as linhas curvas alongam-se
Num mesclar de tons e  reflexos:
Labirinto em diáfanos
Beijos de cyan e magenta...
Vanice Zimerman, IWA 
29/08/2017

Lembranças...


Há um encanto
No silenciar das palavras,
Porque as lembranças falam...
Vanice Zimerman, IWA 
31/08/2017
***
https://www.youtube.com/watch?v=H_e-dRv4QKA
SAINT GERMAIN CHAMA VIOLETA

Haicai 962


no canto da rua
duplica-se a pétala-
à sombra do Ipê
Vanice Zimerman, IWA
 04/09/2017

Haiga (haicai com imagem)


No céu azul
Bailam as flores de Ipê,
Um vento amarelo

Vanice Zimerman, IWA
04/09/2017

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Casulo

Na clausura do casulo
Corpo e alma, quase imóveis
E, o coração implode em versos...
Vanice Zimerman, IWA
28/08/2017



Árvore de borboletas


À noitinha,
Despedem-se da cerejeira
As flores,
E, em voos circulares,
Cada flor  transforma-se
Em uma borboletinha
E assim voam,
Levadas pelo vento,
Colorindo à noite
E os sonhos, lembram fadas
Com asas cor-de-rosa,
Pinceladas de poesias...
Vanice Zimerman, IWA
 27/08/2017

BEIJOS


Beija seu pôr do sol, por mim
E, adormece
E com as cores do beijo
Do meu amanhecer, desperta...
Vanice Zimerman, IWA
24/08/2017

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A xícara de porcelana


Na janela entreaberta,
A xícara de porcelana acomoda-se
E, nas gotas de  chá
O pôr do sol cintila...
Vanice Zimerman, IWA
 16/08/2017

domingo, 13 de agosto de 2017

Haicai 956

no piso de madeira
ainda, as marcas do piano-
saudades...


Vanice Zimerman, IWA
13/08/2017

domingo, 6 de agosto de 2017

Olhinhos de Fogo


Noite  sem Lua,
Na chama da vela
Desperta aos poucos,
A Salamandra menina
Linda  e misteriosa,
Inicia a dança do fogo...
Vanice Zimerman, IWA
 03/08/2017

Faço-me pétala...

Na ausência da joaninha,
Sinto a textura da rosa
Deixo-me levar
Brinco de esconde – esconde
Renasço entre as pétalas...
Vanice Zimerman, IWA
 27/07/2017

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Hum, teu olhar é único


Hum, teu olhar
Deságua em lagos,
Rios e mares,
E em águas cristalinas
Acaricia as pedrinhas do rio
E, com cuidado, acompanha
A  pipa azul a flutuar
No desbotar delicado
Do papel de seda,
Sendo envolvido pelas águas...
Ah, teu olhar é intenso e suave,
Em tuas águas navega,
Sem pressa, e confiante
O frágil barco de papel
E as pétalas de flores,
presentes do vento...
Ah, em teu olhar intenso e suave,
Encontro amor, busco respostas
E sinto tuas carícias, banhando
Em curiosas ondas meu coração,
Corpo e alma...
Hum, teu olhar é único.
Vanice Zimerman, IWA
 25/07/2017

Haicai 954


fim de tarde-
os  galhos da  pitangueira
repletos de flores...
Vanice Zimerman, IWA
27/07/2017

Hoje, eu queria ser àquela rosa...



De manhãzinha ao sentir o sol
Em meu rosto e admirar as roseiras,
Desabrochando no jardim,
Senti vontade de ser uma rosa,
E respirar o azul do céu,
Seguindo o voo
Das sementes de dentes- de- leão...
Hoje, eu queria ser  àquela rosa branca,
Tua e única rosa, perfumado o dia,
E com as cores das pétalas,
Tingiria  o céu azul com  algumas nuvens,
E desenharia dois corações entrelaçados,
Unidos num diáfano laço  de amor e poesias
Hoje, eu queria ser àquela rosa...
Tua rosa,
E assim voar e,  em tua mão pousar...
Vanice Zimerman, IWA 
26/07/2017

Mar de solidão


Num  mar de solidão,
Anoitece  em mim, uma saudade
Imobilizam-se os reflexos da Lua,
Silenciam-se as ondas
As dores...
E a passagem do tempo?
Em lágrimas se dispersa,
E refugia-se no encanto
Das lembranças do amor,
Da lâmina afiada que corta
A pétala, e divide o espinho
Da roseira ao meio,
À meia-luz
Das noites insones,
Silenciando, meus pensamentos.

Vanice Zimerman, IWA - 27/07/2017

Foto: Vanice - 2015
***

terça-feira, 25 de julho de 2017

25 de julho, Dia do Escritor - Parabéns!


Parabéns a todos os escritores!

Dia do Escritor

Nas  páginas em branco, aos poucos aconchegam-se as letras, as palavras e  frases que inspiram poemas e textos... Páginas que lembram telas à espera da emoção do escritor para pintá-las...

Vanice Zimerman, IWA - 25/07/2017
*****
Origem do Dia Nacional do Escritor

"A ideia de homenagear todos os escritores no dia 25 de julho surgiu a partir do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado na década de 1960 pela União Brasileira de Escritores, sob a presidência de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, um dos principais nomes da literatura nacional."


Despede-se a porta


Encostadas num
Canto do muro,
As rachaduras
Da antiga porta de madeira
Desenham caminhos
E mosaicos pincelados
Pelo tempo, sol e chuva...
Em um breve ritual
Luz e sombra passeiam
E, assim cada cantinho da porta,
E na maçaneta  imóvel
Permanece, ainda o sutil toque
Das mãos que as tocaram,
Tonaliza-se  os reflexos e sombras
Nas rachaduras, há sempre as lembranças
De outros pores do sol e os aromas
Das flores de laranjeira,
Que perfumam com notas suaves
A despedida de mais uma  tarde
De inverno...
Vanice Zimerman, IWA
 23/07/2017

PAISAGEM "LÍQUIDA"



Manhã nublada:
Está vendo àquela curva,
Próxima à árvore,
Ainda com algumas flores do Manacá?
Em alguns segundo o trem passará
E, continuará seu caminho,
E na curva, desaparecerá...
Há um encanto
Nas pequenas flores amarelas
Que crescem corajosas
Entre os dormentes.
A magia permanece nas janelas do trem,
Refletindo, como se fossem espelhos,
Uma paisagem “líquida”
E misteriosa,
Os tons de verde movem-se
Misturam-se, às roupas coloridas
Que secam no arame farpado
E bailam ao vento,
E assim, essa bela paleta de cores
Por segundos, envolve
Num bem-vindo abraço
A cachoeira...
Ah, o som do trem
Acaricia o silêncio,
Enquanto às lágrimas deslizam,
Tonalizando a manhã
E inspirando um poema...

Vanice Zimerman IWA - 25/07/2017