sábado, 28 de maio de 2016

CONVITE - EXPOSIÇÃO "SONHANDO COM O PARANÁ" - MUSEU PARANAENSE - CURITIBA -PR até 17/07/2016

Clicar na imagem para amlpiar

Pinceladas d'água


A chuva suave
Em gotas de poesia
Molha meu rosto, corpo e alma,
E, em meu coração
As letras das palavras
Amor, saudade e distância entrelaçam-se
Diluem-se em versos,
Enquanto empresto do Outono
As cores e o vento e em pinceladas d'água,
Sem pressa, faço o teu retrato...
Van Zimerman 
 28/05/2016

AMOR E CHUVA


Madrugada chuvosa,
A lareira ilumina
Um canto da sala, uma das janelas...
As labaredas aquietam-se
Num lento e surreal bailado.
Imagino teu olhar,
A saudade aconchega-se
No espelho,
Na rosa com gotas d'água caída no tapete
Num piscar  de olhos, sinto você,
Minha vida, meu mundo...
Van Zimerman 
27/05/2016

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O Lençol Azul




Ainda em suas tramas,
Amor e desejo tecidos em seda
Contidos num sonho azul...
Van Zimerman


.Tela: Van Zimerman

Solidão em versos d'água

Noite de maio,
Chove, enquanto escrevo,
A saudade cintila...

Lembro-me da tua voz,
Não esqueço teu sorriso
Amo,  o jeito especial, surreal
De imaginar você me amando,
Bem devagarinho...
Quanto amor está contido
No desejo de um beijo?
No toque das tuas mãos?
Contido está o amor
Em cada verso d’ água,
Contido está o amor
Na distância, na saudade
No silenciar da tua voz,
E em cada gota de chuva que continua...


Van Zimerman
***
Astrud Gilberto: Gentle Rain


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Gotas de saudade...



Madrugada,
Enquanto escrevo
A solidão desliza
Em frias gotas de saudade...
Saudades da tua voz,
Enquanto escrevo,
O silêncio e o som chuva
Desenham um coração na janela,
Amor que deságua
em versos de um amor,
E sonha, sonha...


Van Zimerman
22/05/2016

O piano silencia-se


Noite fria...
O piano silencia-se
E emocionado escuta o sons da chuva,
Enquanto no jardim,
Na pequena fonte, desmancha-se
O barco de papel azul...
Saudade de "Clair de Lune".
Van Zimerman 
22/05/2016

FUGAZ




FUGAZ

No rosto de ferro,
Uma lágrima...


Van Zimerman

terça-feira, 17 de maio de 2016

Despede-se a Vida


Despede-se a Vida
Em campos floridos,
Em tardes outonais
No toque  suave da harpa...
Despede-se a Vida,
Nas notas do teu perfume que eu não posso sentir
E, em teu rosto que a distância impede
Que eu acaricie...
A cada segundo de saudade imensa
Despeço-me da Vida em versos, e voo
Na pena branca que encontro caída na grama,
E deslizo na asa da borboleta amarela, que guardei
Para você, mas não pude entregar
E a deixei descansando na folha de Canson
Despeço-me da Vida em versos, e voo
magicamente em uma pausa do tempo,
Para junto de ti.
Vanice Zimerman Ferreira
17/05/2016

InQUiETUDe



Na sala escura
Baila sozinha, a chama da vela...
Tênue inquietude,
Solidão que busca entender o amor
E por que ele acontece?
Tênue inquietude,
Diáfano coração apaixonado, que se deixa levar
Feito barco a vela, a deriva,
Num mar de emoções tecidas
Com amor e carinho,  pincelando
Com o toque do vento
Um encantado arco-íris,
Que cintila em meu olhar, em teu olhar
Quando sonho contigo,
Intensa inquietude.
Van Zimerman 
 17/05/2016

sexta-feira, 13 de maio de 2016

sábado, 7 de maio de 2016

DÁ-ME TUA MÃO...

Vem, meu amor dá-me tua mão
E vamos passear,
Respirando  o azul do céu outonal,
E ver a folha do Plátano,
Que em  tons de despedida
Prendeu-se  ao galho,
Num  tênue e breve aconchego
À espera do vento...
Vem, dá-me tua mão,
Dissipa tuas lágrimas
Com o colorido das flores,
E com o carinho dos beijos
Que trocaremos bem devagarinho...
Van Zimerman 
06/05/2016

terça-feira, 3 de maio de 2016