terça-feira, 25 de julho de 2017

25 de julho, Dia do Escritor - Parabéns!


Parabéns a todos os escritores!

Dia do Escritor

Nas  páginas em branco, aos poucos aconchegam-se as letras, as palavras e  frases que inspiram poemas e textos... Páginas que lembram telas à espera da emoção do escritor para pintá-las...

Vanice Zimerman, IWA - 25/07/2017
*****
Origem do Dia Nacional do Escritor

"A ideia de homenagear todos os escritores no dia 25 de julho surgiu a partir do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado na década de 1960 pela União Brasileira de Escritores, sob a presidência de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, um dos principais nomes da literatura nacional."


Despede-se a porta


Encostadas num
Canto do muro,
As rachaduras
Da antiga porta de madeira
Desenham caminhos
E mosaicos pincelados
Pelo tempo, sol e chuva...
Em um breve ritual
Luz e sombra passeiam
E, assim cada cantinho da porta,
E na maçaneta  imóvel
Permanece, ainda o sutil toque
Das mãos que as tocaram,
Tonaliza-se  os reflexos e sombras
Nas rachaduras, há sempre as lembranças
De outros pores do sol e os aromas
Das flores de laranjeira,
Que perfumam com notas suaves
A despedida de mais uma  tarde
De inverno...
Vanice Zimerman, IWA
 23/07/2017

PAISAGEM "LÍQUIDA"



Manhã nublada:
Está vendo àquela curva,
Próxima à árvore,
Ainda com algumas flores do Manacá?
Em alguns segundo o trem passará
E, continuará seu caminho,
E na curva, desaparecerá...
Há um encanto
Nas pequenas flores amarelas
Que crescem corajosas
Entre os dormentes.
A magia permanece nas janelas do trem,
Refletindo, como se fossem espelhos,
Uma paisagem “líquida”
E misteriosa,
Os tons de verde movem-se
Misturam-se, às roupas coloridas
Que secam no arame farpado
E bailam ao vento,
E assim, essa bela paleta de cores
Por segundos, envolve
Num bem-vindo abraço
A cachoeira...
Ah, o som do trem
Acaricia o silêncio,
Enquanto às lágrimas deslizam,
Tonalizando a manhã
E inspirando um poema...

Vanice Zimerman IWA - 25/07/2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Às últimas folhas do Plátano



Tarde fria de inverno,
Invade-me uma saudade
Que se aconchega
Às últimas folhas do Plátano,
Ainda ficou em mim,
Encantados  traços do outono,
Enquanto um vento menino,
Incentiva o voo inseguro
De uma página solta na calçada,
Feito um pássaro, começando a voar...
Sinto um desassossego
Pincelado de solidão
Que sonha em banhar-se
Nos tons suaves/intensos
Da cerejeira em flor, e sentir o calor
Do teu tênue sol, meu Amor...

Vanice Zimerman, IWA
19/07/2017
Foto: 2012
***
Chet Baker's Autumn Leaves

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Um Portal


À noitinha
Ao alcance das mãos
Desperta a aquarela adormecida,
Inacabada,
Que me fará companhia
Em mais uma noite de inverno,
Gosto de sentir suas delicadas cores,
Lembro-me de Alice e fico  pequena,
E assim posso viajar
Na imagem do portal azul...
Devaneio e até esqueço  a hora do chá.
Desperta a aquarela adormecida,
Espreguiçam- se os contornos,
As pedras, o ferro e os tons de magenta,
Silenciam-se meus pensamentos.
Vanice Zimerman, IWA
 17/07/2017

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Em silêncio...


Um tênue barco a vela
Viaja contido
No barquinho de papel,
Enquanto as lágrimas desenham
Linhas em minha face,
O amor e saudade
Em silêncio
Rabiscam as letras do teu nome,
Nas linhas d'água
E, o barquinho de papel,
Curioso navega em meus sonhos,
E, do vidro trincado da janela
O pássaro continua a me observar
E, juntos em pensamento
Voamos livres...
Vanice Zimerman, IWA
14/07/2017

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Carícias, promessas e beijos


Insinua-se a Lua
E espia a janela entreaberta,
Enquanto  as notas de Jazz
Deslizam num ritmo encantado,
Percorrendo sem pressa
Os caminhos da camisa branca...
Carícias, promessas e beijos
Abrem os delicados botões
De pérolas...

Vanice Zimerman, IWA
13/07/2017

****
https://www.youtube.com/watch?v=mUiCSdBN8Tg
Miles Davis - Flamenco Sketches

domingo, 9 de julho de 2017

As Gárgulas, o Lobo e a Lua



Madrugada,
Da torre mais alta
Do antigo castelo
Seculares  gárgulas despertam
Do mármore libertam-se
Renascem,
Enquanto, no jardim
Um lobo admira
O reflexo da lua
A flutuar na fonte,
Imóvel o lobo
Apaixona-se...
Sonha com o beijo da Lua,
Que cintila em seu olhar
Deseja alcançá-la,
Possuí-la,
Um romance impossível...
As gárgulas, agora,
Curiosas, mas em silêncio
Aproximam-se do lobo,
Elas entendem de solidão,
De saudade, e sentir
A passagem sem pressa
Do tempo e tão pouco
Tempo para amar...
Lágrimas deslizam,
Começa  a chover...
Vanice Zimerman, IWA
09/07/2017